sábado, 4 de março de 2017

O Gato que Parece Crente e o Crente que Parece Gato


Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória. Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a fornicação, a impureza, o afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria; Pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência; (Colossenses 3:1-6) 

Certo dia um gato andava pela região onde havia uma igreja. Ele foi se achegando e avaliando se ali haveria um lugar para ele, pois estava sem um lugar seguro para passar a noite. Como a porta da igreja estava aberta e ninguém que lhe oferecia perigo estava por ali, o gato entrou calmamente. Deu uma volta pelo ambiente, olhou em todas as direções e ficou por ali, pois gostou muito do local, o local era tranquilo e lhe parecia muito bom para passar a noite. 

Aos poucos as pessoas iam entrando na igreja e logo muitos faziam carinho no gato, davam comida a ele, conversavam com ele, brincavam com ele. 
Logo o gato ficou amigo de todos e estava presente todos os dias naquela igreja. 
Não tinha uma reunião em que o gato não estava. 

O tempo passou e já fazia alguns meses que o gato estava ali naquela igreja. Ele não saia dali. Estava sempre presente. 
Um dia, o pastor da igreja, observando o gato dia após dia, resolveu compartilhar sobre ele em um dos cultos da igreja. 

– Quantos já viram aquele gatinho bonitinho que sempre está aqui em nossa igreja? 

Quase todos levantaram as mãos, pois o gatinho era tão bonitinho que fazia muito sucesso por ali. 

O pastor, então, continuou: 

– Vocês acham que esse gato é um gato crente? 

A igreja toda estranhou a pergunta, mas ficou em silêncio enquanto o pastor seguia com o sermão. 

– Pois é, irmãos, faz alguns meses que esse gato está vindo aqui na igreja. Ele está em todas as reuniões que fazemos. Observando-o, percebi que ele até parece um gato crente. 

Mas será que esse gato é um gato dedicado a Deus? 

A igreja sem entender nada permanecia em silêncio. O pastor continuou: 

– Vejamos se esse gato é crente, pois ele está todos os dias na igreja, não é verdade?!: 

– O gato tem uma vida de oração? Não! 

– O gato lê a Bíblia diariamente? Não! 

– O gato evangeliza as pessoas? Não! 

– O gato contribui para a obra de Deus? Não! 

– O gato é um intercessor? Não! 

A igreja, então, em silêncio aguardava a conclusão do pastor. 

– Pois é, irmãos, muitas vezes somos como esse gato. Estamos na igreja, frequentamos, até parece que somos crentes por estar em lugares que crentes estão, mas, de verdade, como o gato, não somos crentes dedicados ao Senhor. 

Somos apenas como gatos que parecem crentes. 


Meus queridos ao ler esta reflexão, fiquei a pensar, aquele gato não era cristão, ele apenas se acomodou a uma situação que lhe era confortável, e assim que aparecesse outra situação confortável para ele, o gatinho poderia ir embora. 

Ao pensar no período que estamos vivendo, podemos ver quantas pessoas que se dizem cristãos. portanto seguidores de Cristo e o texto de Colossenses que acabamos de ler, nos diz que se você ressuscitou com Cristo, deve buscar as coisas de cima e não da terra, que como seguidor de Cristo você deve mortificar o seu corpo para o pecado. 

Vem então a pergunta; Você hoje é Cristão? 
Ou você é gata ou gato que frequenta uma igreja Cristã? 

Que Deus nos abençoe 

Sebastião Sena